VOCÊ SABE QUEM FOI MONTEIRO LOBATO?

VOCÊ SABE QUEM FOI MONTEIRO LOBATO?

No dia 18 de abril de 1882 nascia em Taubaté, São Paulo, José Bento Monteiro Lobato.

Responsável por várias campanhas nacionais em defesa do petróleo, do ferro e da saúde, Monteiro Lobato revolucionou o mercado editorial numa época em que ainda não existia uma literatura voltada para o público infantil e juvenil ao criar sua própria editora e escrever livros voltados para todos os que não tinham acesso à literatura.

Lobato está até hoje nos corações dos brasileiros através das aventuras de uma turma bem alegre e arteira, que adora se meter em grandes aventuras e confusões: a turma do Sítio do Picapau Amarelo.

Vamos conhecer...Tatiana Belinky


“O livro é um objeto mágico”

Para a escritora infantil Tatiana Belinky, cabe tudo nas histórias para crianças pequenas: castelos, florestas, cidades inteiras... A história de vida desta "bruxinha boa das histórias", como é carinhosamente reconhecida,  é tão emocionante quanto os livros que ela escreve para as crianças.








Tatiana Belinky nasceu em 18 de março de 1919 em Petrogrado, atual São Petersburgo, Rússia, mudando-se para Riga aos dois anos de idade. Seu pai, Aron, era comerciante e a mãe, Rosa, cirurgiã-dentista. A menina Tatiana aprendeu a ler no idioma materno, o russo, aos quatro anos de idade e até os dez já era fluente também em alemão.

Devido à perseguição aos judeus na Rússia Soviética, a família Belinky, que era judia, resolveu se mudar para o Brasil, chegando a São Paulo em 1929.

Na adolescência, em São Paulo, Tatiana trabalhou como secretária bilíngue. Em 1939, começou a estudar Filosofia na Faculdade São Bento, mas abandonou o curso em 1940 em razão de seu casamento com o médico Júlio de Gouveia.

De 1948 a 1951, criou com o marido várias adaptações de histórias infantis para teatro. Nessas encenações, Tatiana fazia o roteiro e o marido, a direção. As peças eram encenadas em teatros da Prefeitura de São Paulo, com recursos da prefeitura. Em 1952, o casal encenou sua bem-sucedida adaptação “Os três ursos” na extinta TV Tupi. Com o sucesso da encenação na televisão, a Tupi convidou o casal a elaborar o programa “Fábulas Animadas”, preenchendo uma lacuna da programação da época para o público infanto-juvenil. Em seguida, o casal fez a primeira adaptação televisiva do “Sítio do Pica-Pau Amarelo”, de Monteiro Lobato, exibida em horário nobre. Seguiram-se outros programas de sucesso, sempre na linha de adaptações para o público infanto-juvenil, que estiveram no ar por um total de 13 anos, até 1966. Esses programas tinham sempre o propósito explícito de estimular a leitura entre os jovens, criando nestes a curiosidade de ler os originais das adaptações.

Paralelamente à atividade como roteirista de teatro e televisão, Tatiana Belinky deu início, em 1952, à atividade como tradutora literária, iniciada com suas adaptações de peças de teatro infantis e contos russos. Traduziu mais de 80 livros do russo, alemão, inglês e francês. Entre os textos que traduziu e adaptou estão obras de autores como Dostoiévski, Tolstói, Gorki, Gogol, Turgueniev, Goethe, Brecht, Irmãos Grimm e Lewis Carroll. Sua especialidade sempre foi a literatura infantil russa, ajudando a divulgar a cultura russa entre crianças e adolescentes.

Também atuou, a partir de 1972, como crítica de literatura infanto-juvenil e de teatro, como colaboradora dos jornais Folha de São Paulo, O Estado de São Paulo e Jornal da Tarde e da TV Cultura.

Em 1985, começou sua atividade como autora de livros infantis, publicando sua primeira obra em 1987 com o título Limeriques (poesias). Desde então, não parou de produzir poesia, prosa, ficção e livros didáticos. Grande parte dessa prolífica produção de cerca de 100 livros tem o público infanto-juvenil como alvo. Recentemente, tem publicado livros de crônicas e memórias.

Tatiana Belinky é autora premiada em literatura e teatro. Recebeu o Prêmio Mérito Educacional em 1979, e o Prêmio Jabuti de Personalidade Literária do Ano em 1989, entre outras premiações.

Na área de tradução, recebeu o Prêmio Monteiro Lobato de Tradução em 1988 e 1990. Em 1994, deixou de atuar como tradutora, mas não abandonou, entretanto, sua atuação como escritora.


"Na minha casa, todo mundo lia. Eu comecei aos 4 anos e o mundo se abriu para mim. Aprender a ler é uma grande aventura. Abre os olhos, os ouvidos, a cabeça. Cria interesses, desperta a curiosidade. A leitura dá uma chance às melhores emoções. Trata-se de uma doença infecciosa - uma vez exposta a essa contaminação, a maioria vai gostar. O livro é o melhor amigo de uma pessoa. Um brinquedo diferente, que nunca acaba. Um objeto mágico, maior por dentro do que por fora. Cabe um dinossauro, um castelo, um trem. E só abre quando der vontade."

Nenhum comentário:

Postar um comentário