VOCÊ SABE QUEM FOI MONTEIRO LOBATO?

VOCÊ SABE QUEM FOI MONTEIRO LOBATO?

No dia 18 de abril de 1882 nascia em Taubaté, São Paulo, José Bento Monteiro Lobato.

Responsável por várias campanhas nacionais em defesa do petróleo, do ferro e da saúde, Monteiro Lobato revolucionou o mercado editorial numa época em que ainda não existia uma literatura voltada para o público infantil e juvenil ao criar sua própria editora e escrever livros voltados para todos os que não tinham acesso à literatura.

Lobato está até hoje nos corações dos brasileiros através das aventuras de uma turma bem alegre e arteira, que adora se meter em grandes aventuras e confusões: a turma do Sítio do Picapau Amarelo.

quinta-feira, 27 de junho de 2013

Convidando um Amigo


Dia desses a professora Carolina veio à Sala de Leitura com uma proposta de trabalho para suas turmas, 1201 e 1202. A turma teria que elaborar um convite para um colega. Mas e daí? E daí que o convite deveria ser para ler um livro. Resolvemos então fazer tudo em conjunto!

Montei um convite chamando a turma para assistir a contação de história do livro Bruxa, Bruxa, venha a minha festa, de Arden Druce. Os alunos viriam à Sala de Leitura, assistiriam à contação, depois iriam poder assistir a história em slides e aí então entraria a parte da professora Carolina, com a elaboração dos convites feitos pelos alunos das turmas. A aula foi um sucesso, todos adoraram! Os convites dos alunos ficaram uma graça e todos conseguiram entender o que a professora queria explicar. Muito bom!

Parabéns à professora Carolina pela iniciativa e aos alunos das turmas 1201 e 1202 pelo rendimento e pela diversão!





O convite

Professora Carolina e o convite da turma 1201

1201

1201

1201

1202



A Importância da Leitura

Entrevista com Francisco Gregório Filho sobre a importância da leitura.




Quem é Francisco Gregório Filho?

O acreano Francisco Gregório Filho, tem uma vida rica no que diz respeito a arte e a literatura. Foi ator, diretor, produtor de peças teatrais entre outras atividades, sempre voltado para a área cultural.
Ultimamente, Gregório Filho têm se dedicado à leitura onde, além de escrever livros, desenvolve projetos voltados à formação de contadores de histórias e promoção da leitura.

É autor de autor de Dona Baratinha e outras histórias (2006) e Ler e contar, contar e ler – Caderno de histórias (2008), Guardados do coração: memorial para contadores de histórias e Grávidas histórias: memorial de notícias de mulheres do Brasil, ambos de 1998.

sexta-feira, 14 de junho de 2013

Seminário Buscando Horizontes, Gerando Metamorfoses

Um dos destaques do Salão do Livro este ano foi o Seminário Bartolomeu Campos de Queirós. Foram dias de puro deleite para quem ama a literatura.

Minha escolha foi pelo "Seminário Buscando Horizontes, Gerando Metamorfoses", com o 10º Encontro de Escritores e Artistas Indígenas. Foi um seminário onde foram feitas avaliações dos caminhos já percorridos na literatura indígena  e o que o surgimento dessa literatura provocou na sociedade.

Foi um seminário de muita riqueza, aprendizado discussões apaixonadas e descobertas. 

Começamos com um ritual indígena para que os maus espíritos saíssem e deixassem que o encontro fluísse positivamente. Primeiro fizemos um círculo, depois a música da flauta e aí o ritual continuou com as maracas sendo sacudidas pelos pajés nas nossas costas (um a um) porque é pelas costas que os espíritos maus se manifestam. Bonito demais...



















Depois pudemos dar início ao seminário, com a mesa de abertura composta por Cristino Wapichana, Daniel Munduruku (adoooro!), Beth Serra (secretária geral da FNLIJ).


E a programação correu bem legal, com leitura de poesias, discussões bastante relevantes e muita literatura! 

Tiago Hakiy, poeta indígena

Euzinha e Daniel Munduruku

Graça Graúna, escritora, pesquisadora  e poetisa indígena lançando seu livro e mostrando uma belíssima poesia


Mais lançamentos. Da esquerda para a direita: Daniel Munduruku, Yaguarê Yamã (também adooooro!), Tiago Hakiy e Olívio Jacupé
Momento único: Olívio Jacupé chama Alberto , do povo Guarani para ler uma poesia dele... em GUARANI! Lindo momento!









As fotos acima são da oficina de pintura corporal, dada por Cristino Wapichana e seus "parentes" (como eles se chamam) indígenas.

Enfim, foi um seminário memorável!

Uma Triste Realidade

Querendo ou não, hoje temos que conviver com a mazela do ser humano. A mais vista hoje, a mais perigosa, a droga mais falada é o Crack.

Nós, como educadores, não podemos fingir que não estamos vendo o que acontece com nossos jovens e crianças, não podemos deixar de falar do assunto, muito menos deixar de conhecer mais a fundo do que se trata, para então tentar ajudar nossos jovens a não entrarem nessa, informar cada vez mais e mostrar que existe vida saudável e diversão sem drogas.

Pensando nisso, nossa Escola realiza periodicamente projetos ligados ao culto a uma vida saudável e alguns professores participam das capacitações oferecidas ao grupo sobre o assunto.

No dia 10 de junho, fomos convidados a participar de um Seminário no Ministério Público sobre o assunto.


Participar do evento foi bom para podermos estar atualizados sobre o que anda acontecendo, como ações que são feitas no combate a essa droga ou até mesmo tratamentos para que possamos nos informar e multiplicar essas informações. 

Vamos a algumas informações elaboradas por mim. A fonte de pesquisa encontra-se no final das apresentações:







No Seminário estiveram presentes várias autoridades civis e militares, além do nosso Vice-Prefeito Adilson Pires e da Vereadora Verônica Costa e dos representantes do Ministério Público do Rio de Janeiro, além de psiquiatras e vários outros representantes da área da saúde, a fim de informar, expor atividades realizadas no combate ao uso do crack e esclarecer dúvidas de todos os presentes sobre o assunto.

Vamos a alguns registros do Seminário: